Assomada, 10 Mar (Inforpress) - O presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina (Ilha de Santiago), José Alves, disse hoje que o desencravamento das localidades é uma das prioridades, mas o governo não se compromete em financiar antes de um levantamento.

No primeiro dia de vista ao concelho de Santa Catarina, o edil levou o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, à localidade de Achada Leite, uma das zonais encravadas de Santa Catarina, e em seguida para as localidades piscatórias de Ribeira da Barca e de Rincão.

Segundo José Alves, o desencravamento das localidades com “forte potencial” agrícola foi uma das prioridades identificadas, pois ao desencravar essas zonas estatá a contribuir para a melhoria das condições de vida das famílias, no melhoramente do aceso à educação, à saúde e a serviços e bens e escoamento dos produtos.

Na localidade piscatória de Rincão, onde se inicia a Zona de Desenvolvimento Turístico Integrado (ZDTI), o autarca levou a comitiva do chefe do Governo para constatar no local todas as potencialidades existentes, tanto no domínio da pesca como do turismo.

Esta localidade, que foi a escolhida pela autarquia para receber o projecto de requalificação urbana e reabilitação das habitações, segundo o edil precisa ainda de "investimentos estruturantes” para viabilizar o desenvolvimento local.

José Alves acredita que com a requalificação dessa zona, e ao torná-la mais embelezada e com mais infra-estruturas, seguramente estarão em condições de atrair mais investidores e viabilizar assim a ZDTI.  

Por sua vez, o primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva assegurou que muito mais do que infra-estruturar e atrair investidores privados, é preciso resolver a situação social da localidade de Rincão, onde há crianças e animais a conviverem no mesmo espaço.  

"Este enquadramento tem que ser melhorado,  há que trazer actividade económica através da pesca e do apoio a transformação de produtos da pesca em pequenas quantidades, que permitam fazer com que as pessoas possam ter um modo de vida, que seja depois compatível com atracção de investimento mais pesados para a área do turismo", disse.

Em relação ao desencravamento das localidades, o chefe do Governo concorda que a acessibilidade tem que ser prioridade, entretanto não se compromete em financiar a estrada de Achada Leite, uma vez que, segundo disse, é necessário primeiro fazer um levantamento de todas as acessibilidades no concelho. 

"São investimentos, alguns serão pesados, por isso não vou aqui fazer promessas, nem de tempo e nem de quantidade”, lançou Ulisses Correia e Silva, sustentado que a política do Governo vai no sentido de fazer com que haja “forte intervenção” para desencravar localidades com potencialidades agrícolas e piscatória e em função disso, criar caminhos para a economia.

No final do primeiro dia de visita, Ulisses Correia e Silva aproveitou para reunir-se com às mulheres de Santa Catarina, no Liceu Amílcar Cabral, neste mês que se assinala o  mês da mulher.

AM/AA

Inforpress/ Fim

estatuto

Assinaturas Inforpress

paywall4

01Notícias Relevantes Fique sempre informado sobre os principais acontecimentos de Cabo Verde e do Mundo.

02Informação de Qualidade Produzimos informação com independência, rigor e qualidade.

03Diversidade de Cobertura Pomos à disposição do público informação actualizada sobre os mais variados aspectos.