Cidade da Praia, 13 Mar (Inforpress) - O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) pretende realizar no final de Abril uma mesa redonda para debater com os parceiros nacionais e internacionais a criação e instalação do fundo sectorial para água e saneamento.

O anúncio foi feito pelo ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, em declarações à Inforpress antes de partir para os Estados Unidos, para uma visita de trabalho de três dias.

A visita vai servir para Gilberto Silva e delegação que o acompanha expor a visão estratégica do Governo para sector da água e saneamento, que tem como uma das prioridades, a estruturação do referido fundo.

Segundo o ministro, é neste sentido que vai aproveitar para convidar as várias instituições que vai visitar para participar nesta mesa redonda sobre estruturação do fundo sectorial da água e saneamento, na Cidade da Praia, cujos trabalhos estão “bem avançados”.

“Estamos a pensar organizar essa mesa redonda no final de Abril deste ano”, avançou, entendendo que consolidar as reformas para a melhoria da prestação de serviços de água e saneamento no país, implica, necessariamente, mobilizar e aproveitar bem os recursos financeiros, através de uma boa gestão.

De acordo com Gilberto Silva, é neste quadro que surge a ideia de estruturação do fundo sectorial que vai ter os seus procedimentos próprios e que visa mobilizar os recursos dos parceiros, a favor do sector da água e saneamento, em que o país vai precisar de 70 mil milhões de escudos para resolver os problemas do sector nos próximos 20 anos.

“Estamos a estruturar o fundo, vamos aprovar toda uma legislação atinente ao funcionamento do mesmo e estamos a contar com os recursos dos nossos parceiros principais em matéria de água e saneamento, por isso que não faz sentido fazer tudo isso sem que tenhamos um diálogo franco com esses parceiros”, considerou.

A mesa redonda, conforme o governante, vai servir para Cabo Verde apresentar toda a concepção do fundo, os procedimentos que conta implementar, mas também ouvir a opinião e a experiência desses parceiros e “mobiliza-los para esta causa”, sendo que a previsão para a instalação deste fundo é ainda este ano.

Dos Estados Unidos, o país quer contar com a parceria de instituições como Millennium Challenge Corporation (MCC), o Banco Mundial, especialmente no que concerne ao Fundo para as Parcerias Público-Privadas em infra-estruturas, o Banco Inter-Americano de Desenvolvimento, entre outras.

Neste momento, a Cooperação Luxemburguesa já disponibilizou 4,5 milhões de euros (cerca de 495 milhões de escudos) para alimentação do referido fundo que vai tomar como experiência de implementação, o Fundo de Água e Saneamento (FASA)como mecanismo de financiamento de infra-estruturas do sector, criado noâmbito do Projecto Água, Saneamento e Higiene do Millennium Challenge Account - Cabo Verde II (MCA-CV II).

No sector da água e saneamento, o país tem várias necessidades de investimentos já identificadas, nomeadamente o aumento da produção e da mobilização da água e a sua distribuição, a melhoria de serviços e a criação de infra-estruturas, de acordo com o ministro, para quem um país que tem o turismo como um dos seus principais pilares de desenvolvimento económico “tem de equacionar o problema da água”.

Este equacionamento deve ser, não só para o consumo humano, mas também para a indústria, mas para a economia do modo geral, incluindo a agricultura, apostando numa boa governança no sector da água, implementar as melhores práticas e fazer investimentos necessários.

DR/CP

Inforpress/Fim

estatuto

Assinaturas Inforpress

paywall4

01Notícias Relevantes Fique sempre informado sobre os principais acontecimentos de Cabo Verde e do Mundo.

02Informação de Qualidade Produzimos informação com independência, rigor e qualidade.

03Diversidade de Cobertura Pomos à disposição do público informação actualizada sobre os mais variados aspectos.