Cidade da Praia, 08 Set (Inforpress)- O Movimento para a Democracia (MpD) regozija-se com os resultados das eleições autárquicas de 04 de Setembro, na sequência dos quais o partido conseguido conquistar 18 câmaras e 19 assembleias municipais.

Durante uma conferência de imprensa realizada hoje, na Cidade da Praia, o coordenador nacional das autárquicas, Rui Figueiredo, reconheceu que os resultados foram “excelentes” e que o MpD passa a ter responsabilidades acrescidas na condução dos destinos do país.

Rui Figueiredo reafirmou na ocasião, os princípios e valores que norteiam o partido que, segundo disse, “aceita com humildade e espírito de serviço público a missão que o povo cabo-verdiano lhe confere”.

Segundo adiantou, a comissão política do partido endereçou uma palavra de profundo reconhecimento, agradecimento e estímulos aos candidatos, militantes e amigos do MpD e aos inúmeros eleitores que nos diversos círculos do país, defenderam sem olhar a sacrifícios e confiaram os projectos de governação local propostos pelo partido, assegurando que tudo fará para não defraudar as legítimas aspirações de uma nova era do poder local, ao serviço intransigente da felicidade das pessoas.

“Neste contexto, a comissão política exorta o Governo a manter a atitude, bastas vezes anunciada pelo primeiro-ministro, de tratar todas as câmaras de forma igual, respeitando escrupulosamente o sentido das escolhas feitas pelos eleitores e demonstrando que o poder local constitui um dos mais importantes parceiros para se vencer os desafios do desenvolvimento do país”, referiu.

Questionado sobre as candidaturas independentes do Boa Vista Adiante Sempre Trabalhando Arduamente (BASTA) e O Grupo Independente para Ribeira Brava (GIRB), São Nicolau, em que ambas foram vencedoras, Rui Figueiredo sublinhou que foram “rosas”, mas com os seus espinhos, elementos próprios da democracia e das dinâmicas que se estabelecem, acrescentando que o candidato José Pinto Almeida, da Boa Vista, era o candidato que defendia aquilo que o partido tinha para a ilha das Dunas.

“Em relação a esta questão, pensamos que a democracia funcionou, e a comissão política respeita escrupulosamente a escolha dos candidatos, feitas pelos eleitores, e neste caso e em outros dois em que também os candidatos do MpD não mereceram o apoio dos eleitores, como é o caso dos Mosteiros e Santa Cruz, consideramos com toda a naturalidade, com espírito democrático, sabendo que a escolha feita pela direcção do partido não coincidiu  nestes poucos casos com a escolha feita pelos eleitores”, admitiu.

Por outro lado, afiançou que a relação com as câmaras independentes será saudável, dentro daquilo que entenderem ser o exercício do poder, respeitar as vozes da sociedade civil, sobretudo nesses dois casos em que deram corpo aos seus projectos, situação essa que o partido vai respeitar e relacionar de forma cordial entre todas as autarquias, disse.

Em relação às queixas apresentadas pelo PAICV, disse que as acusações devem ser dirigidas aos tribunais, mas que no seu entender têm a ver com a não aceitação dos resultados eleitorais que foram inequívocos, onde o povo quis dar ao MpD esta oportunidade e esta responsabilidade acrescida.

Para Rui Figueiredo, a taxa de abstenção que rondou os 42% é uma questão que merece ser analisada por todos os partidos políticos, e requer um estudo aprofundado.

De acordo com os resultados provisórios, o Movimento para a Democracia (MpD - poder) é o grande vencedor das autárquicas de domingo, 04, após conquistar 19 (86,4%) das 22 câmaras municipais do país.

O MpD mantém as câmaras da Praia, do Tarrafal de Santiago, de São Domingos, de São Miguel, da Ribeira Grande de Santiago, do Maio, da Brava, da Ribeira Grande e Paul (ambas em Santo Antão), de São Vicente, Tarrafal de São Nicolau e Santa Catarina de Santiago.

O partido no poder acrescenta ao rol de câmaras conquistadas as de São Lourenço dos Órgãos, São Salvador do Mundo, Santa Catarina e São Filipe (ambas no Fogo), Sal, Porto Novo e Ribeira Brava de São Nicolau e perde a Boa Vista para o grupo independente Boa Vista Avante Sempre Trabalhando Arduamente (BASTA), liderado por José Luís Santos, que venceu as eleições com maioria absoluta.

Em termos de vereadores municipais, o MpD conseguiu eleger 109 representantes. Já o PAICV alcançou os 19 vereadores municipais, seguindo-se o BASTA com cinco, a UCID com dois e o GIRB (Grupo Independente Ribeira Brava) com dois vereadores.

AV/FP

Inforpress/Fim