Espargos, 15 Mar (Inforpress) – O edil do Sal reuniu-se hoje com a coordenadora residente das Nações Unidas que se encontra na ilha a convite da Câmara Municipal, tendo abordado durante o encontro questões relacionadas com o desenvolvimento sustentável, sobretudo na componente ambiental e social.

À saída do encontro de hora e meia com Ulrika Richardson, o edil Júlio Lopes, indicou que a ilha do Sal está a enfrentar alguns problemas na área ambiental, pelo que defende a necessidade de se reforçar a protecção do ambiente associado à questão do saneamento.

“Já demos um passo importante com a inauguração da Estação de Tratamento das Águas Residuais (ETAR) de Santa Maria e vamos começar já na cidade dos Espargos. Outra questão tem a ver com a situação de recolha e tratamento de lixo na ilha, cujo problema tem que ser resolvido”, acentuou.

O autarca, para quem a visita da representante das Nações Unidas ao Sal, se reveste de grande importância, disse que nesta abordagem foram colocadas também questões sobre a situação social na ilha, resultante dos impactos negativos do desenvolvimento do turismo.

“As Nações Unidas dão muita importância à questão ambiental. E, atendendo que o desenvolvimento do turismo, para além da parte positiva, tem também impactos negativos, designadamente a nível social onde se regista um crescimento dos bairros de lata, estamos a ver a possibilidade de as Nações Unidas, também nos apoiarem, no âmbito do programa do Governo e da Câmara Municipal, na eliminação das barracas e melhoria do nível de conforto das habitações no Sal”, manifestou.

Por sua vez, inteirando-se da visão da Câmara Municipal do Sal com vista ao desenvolvimento da ilha, a coordenadora residente das Nações Unidas, Ulrika Richardson, aponta para a importância do reforço da cooperação, sobretudo no que diz respeito ao sector turístico.

“Falamos sobretudo da questão ligada ao sector turístico, como se pode reforçar esse sector para o benefício da ilha e sua população, a nível habitacional, de acesso à educação, saúde… E falamos também da questão ambiental”, esclareceu.

Ulrika Richardson, para quem a ilha do Sal tem grandes potencialidades e muito para oferecer, defende a produção de um código de conduta ética para os operadores turísticos de modo a que toda a população, conforme disse, possa usufruir dos benefícios do fluxo turístico.

Depois de na parte de manhã ter visitado a Escola Municipal de Artes Tututa, Centro de Dia de Idosos, Gabinete de Apoio a Vítimas da Violência Baseada no Género e os assentamentos informais de Alto Santa Cruz, Alto São João e Terra Boa, a representante das Nações Unidas visitou no período da tarde a cidade de Santa Maria, as localidades de Salinas de Pedra de Lume, Buracona, entre outras.

Ulrika Richardson estará de visita ao Sal até quinta-feira. 

SC/FP

Inforpress/Fim

estatuto

Assinaturas Inforpress

paywall4

01Notícias Relevantes Fique sempre informado sobre os principais acontecimentos de Cabo Verde e do Mundo.

02Informação de Qualidade Produzimos informação com independência, rigor e qualidade.

03Diversidade de Cobertura Pomos à disposição do público informação actualizada sobre os mais variados aspectos.