Nairobi, 20 mar (Inforpress) – Pelo menos dez pessoas morreram nos mais recentes confrontos no Quénia, devido à seca, com as comunidades rurais a lutarem por pastagens para os seus animais, informou hoje a polícia.

Pastores das comunidades de Borana e Samburu travaram um tiroteio no domingo numa área no centro do país, chamada Kom, para onde ambos os grupos levaram o seu gado vivo para pastar, explicou o chefe da polícia da cidade de Isiolo, Charles Ontita.

Segundo o mesmo responsável, dez pessoas foram mortas e duas ficaram feridas nos confrontos que levaram as autoridades a destacar mais agentes para o local.

As mortes tiveram lugar uma semana depois de 13 pessoas terem morrido na região de Baringo, no oeste do país, quando pastores de Ilchamus e Pokot se envolveram em conflitos por causa de uma zona de pasto chamada Mukutani.

No domingo, em Mukutani, quatro agentes foram feridos quando supostos pastores Pokot abriram fogo contra o veículo em que seguiam enquanto escoltavam membros da comunidade Ilchamus para um local seguro, de acordo com a polícia de Baringo.

Em resposta ao surto de violência, desencadeado pela seca que afecta cerca de metade do país, o Presidente do Quénia, Uhuru Kenyatta, anunciou na sexta-feira o destacamento de tropas para as regiões de Baringo e Laikipia.

O Quénia tem sido atingido por uma seca, que levou mesmo o país a declarar o estado de desastre nacional, mas com eleições previstas para agosto muitos suspeitam que a política também tenha tido um papel na recente onda de violentos confrontos.
Lusa/Fim

Lusa/fim

estatuto

Assinaturas Inforpress

paywall4

01Notícias Relevantes Fique sempre informado sobre os principais acontecimentos de Cabo Verde e do Mundo.

02Informação de Qualidade Produzimos informação com independência, rigor e qualidade.

03Diversidade de Cobertura Pomos à disposição do público informação actualizada sobre os mais variados aspectos.