Cidade da Praia, 14 Mar (Inforpress) – O líder do Partido Popular (PP), Amândio Barbosa Vicente considerou hoje que a situação a que chegou o Novo Banco (NB) é “fruto de má gestão” dos recursos públicos por parte do anterior Governo.

Em carta dirigida ao vice-presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição), Nuías Silva, a que a Inforpress teve acesso, o presidente do Partido Popular disse que o Novo Banco tinha uma estrutura de custo mensal que anunciava a sua “morte prematura”.

Citou o exemplo de um dos administradores que auferia 1200 contos mensais, “acrescidos de outros benesses como viatura, combustível, telefone, renda de casa e viagens”.

Para Amândio Vicente, o NB não poderia ter “tamanho peso”, uma vez que se tratava de um banco “que estava a nascer, ainda frágil, num mercado pequeno e de Produto Interno Bruto (PIB) e per capita fraco”.

“Para esconder a fragilidade financeira do Novo banco, no relatório & contas do Novo Banco de 2012, as contas patrimoniais foram ocultadas”, lê-se na carta aberta que Amândio Barbosa Vicente enviou a Nuías Silva, dizendo-lhe que muitos que votaram o PAICV se sentem “frustrados” com a actuação do deputado por ter defendido que a “extinção do Novo Banco foi por falta da vontade política do actual governo”.

“Se o senhor e o seu grupo defendiam, na verdade, o interesse público, já em 2014 a situação do Novo Banco ficaria resolvida, declarando-o inviável, evitando mais perda de dinheiro público”, indicou.

LC/FP

Inforpress/Fim

estatuto

Assinaturas Inforpress

paywall4

01Notícias Relevantes Fique sempre informado sobre os principais acontecimentos de Cabo Verde e do Mundo.

02Informação de Qualidade Produzimos informação com independência, rigor e qualidade.

03Diversidade de Cobertura Pomos à disposição do público informação actualizada sobre os mais variados aspectos.