Cidade da Praia, 30 Set (Inforpress) – O candidato presidencial Joaquim Monteiro vai estar hoje, último dia de campanha para o pleito deste domingo, no interior de Santiago, mais concretamente nos concelhos do Tarrafal e São Miguel convicto de que o povo fará justiça.

Sem panfletos, cartazes, outdoors e sem comícios, Djack Monteiro, encerra a sua campanha eleitoral, afirmando que não gastou o dinheiro do Estado, mas do seu bolso assim como fê-lo em 2011, enquanto que, critica, os seus adversários “estão a esbanjar o dinheiro do povo”.

O “candidato do povo, com o povo e para o povo de Cabo Verde” avançou à Inforpress que vai levar a mesma mensagem que tem levado a todas as ilhas e concelhos que já visitou que é uma mensagem de “confiança e de esperança”.

Com excepção da ilha do Maio onde, segundo explicou, não foi por causa de problemas de transportes quer aéreo e marítimo, visitou Santo Antão (Ribeira Grande, Pa e Porto Novo), São Vicente, Sal (Santa Maria e Espargos), os três município do Fogo, Boa Vista, Brava, São Nicolau (Ribeira Brava e Tarrafal), Santiago (Ribeira Grande de Santiago, Santa Cruz, São Lourenço, São Domingos e hoje Tarrafal e Calheta de São Miguel.

Ainda esta quarta-feira, Joaquim Monteiro recebeu apoio à sua candidatura do advogado Vieira Lopes, que o considerou um “homem humilde e do povo” e “diferente” dos seus adversários por não fazer uma campanha “barrulhenta” e com gastos.

À Comissão Nacional de Eleições (CNE) deixou um voto de “confiança” por todo o trabalho que a mesma tem estado a fazer, afirmando que a CNE tem feito um trabalho “brilhante”, enquanto uma instituição da República de Cabo Verde.

“Mais uma vez afirmo e reafirmo toda a minha declaração e voto de confiança à instituição CNE, que de forma excelente tem desempenhado o seu papel”, revelou o candidato à Presidência da República.

Apelou ainda à instituição a dar continuidade ao trabalho, para que não haja fraude em Cabo Verde, tendo em conta que, acusou, a “máquina de fraude instituída pelo Movimento para a Democracia vai estar novamente em acção nessas eleições”.

Alertou à CNE a colocar os pés no chão para que possa “eliminar” de uma vez para sempre todo este sistema de fraude que foi instituído em Cabo Verde.

Para além de Joaquim Monteiro, que concorre pela segunda vez, estão na corrida ao Palácio do Platô o presidente cessante, Jorge Carlos Fonseca, que concorre para um segundo mandato e Albertino Graça, actual reitor da Universidade do Mindelo.

As eleições para a Presidência da República, marcadas para 02 de Outubro, encerram o ciclo de três eleições este ano em Cabo Verde, depois das legislativas de 20 de Março e das autárquicas de 04 de Setembro.

Dados avançados pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) revelam que para as eleições presidenciais de 02 de Outubro, que irão escolher o mais alto magistrado da Nação, estão registados um total de 361.206 eleitores inscritos, dos quais 314.073 votantes no território nacional e 47.133 na diáspora.

FM/ZS

Inforpress/Fim