Santa Cruz, 30 Set (Inforpress) - O candidato à Presidência da República, na corrida à sua reeleição, Jorge Carlos Fonseca, completou hoje “périplo” pelos 22 concelhos do país com contactos directo com o eleitorado de Santa Cruz e comício em São Miguel.

Jorge Carlos Fonseca, que encerra a sua campanha esta noite com um comício na Fazenda Cidade da Praia, conseguiu levar a mensagem de apelo ao voto na sua continuidade ao mais alto cargo do magistrado da nação, a todas as ilhas habitadas deste arquipélago, tendo “desbravado” achadas, cutelos, ribeiras e montanhas dos mais recônditos, de Santo Antão à Brava.

Na hora do balanço, o candidato "Presidente Sempre Junto das pessoas" disse que a campanha decorreu "com muita alegria e muita elevação" e que a sua candidatura privilegiou a divulgação daquilo que é o exercício da função de um Presidente num sistema como o cabo-verdiano.

Jorge Fonseca explicou que tentou levar as pessoas mensagens de que o chefe de Estado não governa, nem lidera a oposição, mas que cabe a função de moderação e arbitragem do sistema e também contribuir pela cooperação com os outros órgãos de soberania, nomeadamente o governo, e as câmaras municipais com vista a encontrar soluções para os problemas que afectam os cabo-verdianos.

Falta de emprego, sobretudo para os jovens, queixas das vendedeiras, problemas ambientais e de saneamento, dificuldades nas ligações de água e rede eléctrica são enumerados pelo presidente da República, cessante, como os mais comuns auscultados pelas populações nos seus contactos directos nesta autêntica "maratona".

O candidato à sua própria sucessão espera que domingo haja uma forte afluência às urnas e, sobretudo, que os "cabo-verdianos digam sim à justiça, a liberdade e a democracia", tendo argumento como principais razões para os eleitores votarem na sua proposta o facto de candidatar-se na qualidade de um "presidente reconhecido pelas suas qualidades traduzidas num bom desempenho".

Garante que em todos os concelhos e ilhas teve boa receptividade das populações, alegando que os cabo-verdianos reconhecem que reúne condições para ser "um presidente activo, interventivo, junto com as pessoas e os cidadãos e, que, sendo imparcial e isento", está à vontade para trabalhar com qualquer câmara municipal, independente das suas e ideologias politicas.  

Postura crítica e de autonomia para apoiar o governo naquilo que estiver bem e propor e intervir consoante os poderes que a Constituição lhe dá "se as coisas não estiver bem" é o que Jorge Carlos Fonseca, promete, pois afirma estar, cada vez, mais convicto na sua vitória logo na primeira volta do escrutínio de domingo, 02 de Outubro.

Jorge Carlos Fonseca concorre a um segundo mandato, tendo como adversários no próximo pleito eleitoral Albertino Graça e o combatente da liberdade da pátria Joaquim Jaime Monteiro.

SR/CP

Inforpress/Fim