Cidade da Praia, 16 Mar (Inforpress) - O cancro, doença apontada como a segunda causa de morte em Cabo Verde em 2014, é abordado na nova edição do boletim de Farmacovigilância da Agência de Regulação e Supervisão dos Produtos Farmacêuticos e Alimentares (ARFA).

Ao abordar o tema no seu site, a ARFA confirma, igualmente, que o cancro da próstata, do esófago, dos pulmões e do estômago foram os tipos mais mortíferos, em 2014 em Cabo Verde.

Naedição nº 02 do seu Boletim, a ARFAexplicaa importância da notificação de reações adversas em oncologia e como os medicamentos antineoplásicos são utilizados como parte de uma abordagem multimodal no tratamento de vários tipos de cancro.

O boletim da ARFA informa, igualmente, que os regimes quimioterápicos são consideravelmente complexos, e os doentes com cancro são uma população suscetível e com pouca tolerância.

“A magnitude das reações adversas suportadas por doentes oncológicos é gigantesca tornando-os quase sinónimo do tratamento”, refere a ARFA.

A reação adversa é definida como qualquer resposta a um medicamento que seja prejudicial, não intencional e que ocorra durante a utilização de medicamentos para profilaxia, diagnóstico e tratamento de doenças, ou para a modificação de uma função fisiológica.

Segundo a ARFA este conceito passou também a incluir situações adversas em que o medicamento não é utilizado conforme informações oficiais, como sendo o mau uso, a utilização abusiva, sobredosagem ou erros de medicação.

JL/CP

Inforpress/Fim

estatuto

Assinaturas Inforpress

paywall4

01Notícias Relevantes Fique sempre informado sobre os principais acontecimentos de Cabo Verde e do Mundo.

02Informação de Qualidade Produzimos informação com independência, rigor e qualidade.

03Diversidade de Cobertura Pomos à disposição do público informação actualizada sobre os mais variados aspectos.