Assomada, 17 Mar (Inforpress) - Uma família da localidade de Achada Borges, em Santa Catarina (ilha de Santiago) denunciou hoje que os seus membros viveram horas de terror na madrugada de quinta-feira, porque pela terceira vez alguém ateou fogo à casa com todos eles lá dentro.

Os denunciantes afirmam que desde meados de Janeiro têm vindo a confrontar com ameaças por parte do ex-namorado de uma das filhas de Domingos Silva, que vive em Portugal.

Segundo contou Domingos Silva, em Janeiro os bandidos atearam fogo à sua casa através da janela, queimando todos os pertences na sala. Na segunda vez, colocaram fogo por debaixo da porta e na madrugara de quinta-feira, pela terceira vez consecutiva, esses indivíduos colocaram fogo no quarto do casal queimando tudo que havia lá dentro.

Por volta da meia-noite, prosseguiu, sentimos o cão a ladrar insistentemente, pelo que me resolvi sair à rua para ver o que se passava e, de repente, fui atacado e agredido com uma coronhada na cabeça por três indivíduos, disse.

Explicou ainda, que depois de terem imobilizado o chefe da família, os três indivíduos apontaram uma pistola ao peito do pai, arrombaram a casa e atearam fogo no quarto do casal, que por sorte não atingiu a mulher, porque minutos antes, uma das filhas com medo de que acontecesse o pior tinha retirado a mãe do quarto.

Segundo disse, a mãe e os quatros filhos ficaram no quintal da casa e puderam visualizar um dos indivíduos a atear fogo no quarto, pondo-se depois em fuga porque uma das filhas gritou. apelando socorro.

Indicou também que esses indivíduos foram reconhecidos pelos familiares que apontam que um deles é sobrinho do ex-namorado de uma das filhas do casal que vive em Portugal, garantindo, no entanto, que todos eles são da localidade de Ribeira da Barca.

Entretanto, Ineida da Silva, filha do dono da casa, conta que antes desses repetidos incêndios, o ex-namorado da irmã tinha enviado mensagens e vídeo ameaçado a família e afirmando que “vai matar a ex-companheira em Portugal e toda a família em Cabo Verde”.

Por isso, ela pede a quem de direito que averigue o caso e faça justiça antes que o pior aconteça.

A Inforpress pôde aferir que o caso já está sob a alçada da Polícia Nacional e encaminhado ao Tribunal da Comarca de Santa Catarina.

AM/FP

Inforpress/Fim

estatuto

Assinaturas Inforpress

paywall4

01Notícias Relevantes Fique sempre informado sobre os principais acontecimentos de Cabo Verde e do Mundo.

02Informação de Qualidade Produzimos informação com independência, rigor e qualidade.

03Diversidade de Cobertura Pomos à disposição do público informação actualizada sobre os mais variados aspectos.