Cidade da Praia, 17 Mar (Inforpress) – O economista Pedro Barros afirmou hoje que a mulher cabo-verdiana está mal inserida no meio laboral assim como no económico, pelo que recomenda maior acesso ao rendimento e ao trabalho destinado à camada feminina.

Pedro Barro fez esta consideração numa declaração à imprensa, a margem da conferência sobre “Empoderamento economico das mulheres num mundo de trabalho em mudança: planeta 50-50 até 2030”. realizado pela Associação das Mulheres Democratas e de que era apresentador.

Para o economista, Cabo Verde pode chegar próximo da situação de paridade em 2030 se forem tomadas “medidas enérgicas” para o empoderamento da mulher, com maior abertura para acesso ao rendimento e ao trabalho.

“Neste encontro vamos analisar a situação da mulher cabo-verdiana no mundo laboral e falar das perspectivas para podermos moderar o estado actual da situação da mulher no país. A para isso, podemos dizer que a classe feminina está mal inserida tanto em temos laborais como económico”, afirmou.

Segundo Pedro Barros, a mulher no que se relaciona com a população activa é a que menos está empregada, pelo que admite a necessidade de se tomarem medidas para que o país possa ultrapassar essa questão.

Ainda o conferencista, o estado das coisas pode mudar, pois o Governo fez constar algumas medidas no seu programa e assumiu o compromisso de fazer a lei da paridade, entre outras medidas para que a inserção da mulher seja efectiva e não fique apenas no discurso.

Para a presidente da associação, Filomena Delgado, falar do empoderamento da mulher é dissecar sobre um tema actual dada a situação da mulher e as desigualdades do género que, ainda persiste em Cabo Verde e no mundo.

“Em Cabo Verde o rosto da pobreza é feminino, pois, 53% das mulheres são pobres, mais outras tantas estão no sector do negócio informal, dai a desigualdade e a necessidade do empoderamento económico”, disse, para quem a igualdade efectiva entre mulheres e homens só será possível se houver um verdadeiro empenhamento no empoderamento da camada feminina.

Questionada sobre a situação do empoderamento da mulher no país, Filomena Delgado, realçou que a tendência é para melhoria e apontou a lei da paridade na politica e o programa do governo como aspectos de melhoria.

Tendo em consideração o tema, a prometeu que a Associação das Mulheres Democratas tudo farão para que se cumpra o que esta no programa do governo.

A conferência sobre “Empoderamento económico das mulheres num mundo de trabalho em mudança: planeta 50-50 até 2030” foi promovido pela Associação das Mulheres Democratas no âmbito do Março Mês da Mulher.

PC

Inforpress/Fim

estatuto

Assinaturas Inforpress

paywall4

01Notícias Relevantes Fique sempre informado sobre os principais acontecimentos de Cabo Verde e do Mundo.

02Informação de Qualidade Produzimos informação com independência, rigor e qualidade.

03Diversidade de Cobertura Pomos à disposição do público informação actualizada sobre os mais variados aspectos.